O ciclo de dois dias do Brazilian Content Exchange – Conteúdo para as Marcas, promovido por BRAVI e Brazilian Content nos dias 11 e 18 de junho, em São Paulo, ofereceu espaço para discussão sobre a produção de conteúdo branded, por meio de palestras com players renomados do setor e discussão da relação das marcas e agências com os novos rumos da indústria audiovisual. 

O segundo dia do evento, no último dia 18, começou com Victor Lemos, diretor de conteúdo e entretenimento da Trator Filmes, que destacou a importância de os produtores observarem o seu público e oferecerem conteúdo que seja relevante, gerando engajamento e conexão. Na sequencia foi apresentado todo o processo da realização de conteúdos com as marcas, agências e produtoras, partindo do briefing e passando pelas etapas da proposta, orçamento, produção e exibição do projeto. 

Alex Okada, Global Creative Director para as marcas Unilever, AkzoNobel e Knorr, apresentou cases de conteúdos nos quais houve a interação das marcas com o público e reforçou a ideia de que essa relação precisa ser sempre verdadeira para que haja a identificação do público com a narrativa e os valores da marca. Okada também destacou a importância em criar conceitos que sejam disruptivos e que fujam do óbvio.

Gilberto Toscano, sócio-advogado do Cesnik, Quintino & Salinas, apresentou as questões jurídicas relacionadas à produção de conteúdo para as marcas, como a necessidade de uma decupagem criteriosa dos direitos intelectuais, personalíssimos, da propriedade e outros envolvidos na produção de uma obra. O advogado também conceituou os requisitos para uma obra ser considerada não publicitária e em quais hipóteses é possível a presença da marca sem conceituar a obra como publicitária.

Finalizando o evento, Fernando Silva, especialista de data insights da Parrot Analytics, e Mariana Saes, Sr Manager Business Intelligence da VIACOM, apresentaram o painel Métricas e Estratégias de Engajamento. A responsável pela inteligência de negócios para os canais VIACOM (MTV, Comedy Central, Paramount e Nickelodeon) traçou um perfil da audiência e os esforços que a programadora vem fazendo para mensurar o comportamento do público-alvo. Segundo ela, atualmente os números podem não representar totalmente o engajamento do consumidor, importante é ir além dos números e observar o comportamento da audiência através de estudos qualitativos.

Já o especialista em data insights da Parrot Analytics demonstrou as métricas e ferramentas disponíveis para mensurar o comportamento da audiência em ambientes que não são monitorados de forma linear, como a relação da audiência e as marcas nas redes sociais, a identificação do público com determinado artista ou personagem, o engajamento do público com as marcas e diversos outros dados que são monitorados pela empresa.